História

O ensino da Farmácia na Bahia advém do ensino das matéria Química Farmacêutica e Farmácia, no inicio do século XVIII, no Colégio Médico-Cirúrgico da Bahia. Foi o boticário João Gomes da Silva que em 1816 teve a nomeação registrada por determinação do então Governador. Neste, a Farmácia, como matéria, curso e escola anexa, permaneceu durante 134 anos, até 1949, quando ganhou vida própria, constituindo-se como Faculdade de Farmácia da Universidade da Bahia.

Em 3 de outubro de 1832, foi assinado pela Regência Trina Permanente, a Lei do Ensino Médico que, na Bahia, determinou a criação do Curso Farmacêutico. O curso tinha duração de três anos, contendo as disciplinas: Física, Botânica, Química, Farmácia, Matéria Médica especialmente a Brasileira e Terapêutica e Arte de Formular. Essas disciplinas eram lecionadas pelos mesmos professores do curso médico e, para ingressar no curso de Farmácia os candidatos faziam exames preparatórios de francês ou inglês, aritmética e geometria. Registros dos Formandos em Farmácia pela Faculdade de Medicina da Bahia indicam que o primeiro farmacêutico a colar grau foi José Firmino de Araujo, formado em 1836.
 
Após a Proclamação da República, em 1891, ocorreu uma reorganização das instituições de ensino superior, nomeando a Faculdade de Medicina da Bahia para Faculdade de Medicina e Farmácia da Bahia. Em 1925, uma nova reforma no ensino superior culminou com a criação de um curriculum totalmente voltado pera o ensino da Farmácia.
 
 
O curso farmacêutico passou a funcionar como Faculdade de Farmácia Anexa à Faculdade de Medicina. Em 1946 a Universidade da Bahia foi criada. Um dos eleitos para compor o Conselho Universitário, foi o Diretor da Escola Anexa de Farmácia, Dr. José Carlos Ferreira Gomes, árduo defensor da autonomia e independência do Ensino Farmacêutico. Foi a partir do empenho do professor Ferreira Gomes junto a representantes da bancada da Bahia no Congresso Nacional que, em 1949, foi aprovada e publicada a Lei nº 1.021/49 que constituiu a Faculdade de Farmácia como unidade de ensino autônoma da Universidade da Bahia.
 
Extraído do livro "Do Boticário ao Farmacêutico: o Ensino de Farmácia na Bahia, de 1815 a 1949" dos autores Florentina Santos Dies del Corral, Mirabeau Levi Alves de Souza e Odulia Leboreiro Negrão.